Newsletter

Menu
Início » Comunicação » Notícias Gerais

Notícias Gerais

Da casca ao talo, (quase) tudo pode ir ao prato

29/11/2017


Em épocas de gasto excessivo, a economia e o melhor uso de produtos estão mais valorizados do que nunca. E essa é uma regra que também vale para alimentação. O desperdício é um mal a ser combatido e as medidas contra esse problema devem começar, preferencialmente, dentro de casa — com a utilização das partes não ‘convencionais’ dos alimentos, por exemplo.

O aproveitamento integral dos alimentos consiste em usar sementes, cascas e talos em sua totalidade (não somente a polpa). “Alternativas como essas, usando os princípios nutricionais, possibilitam reduzir os gastos com alimentação, melhoram a qualidade nutricional, especialmente em vitamina C, vitamina A, ferro, potássio, entre outras vitaminas e minerais, já que, em muitos alimentos, o teor nutritivo é maior em relação à própria polpa”, comenta Ammy Coelho, nutricionista clínica e esportiva.

Já a nutricionista Jovana Benoliel questiona: “Ao fazer um suco de melão ou melancia, por que não bater a polpa com as sementes?”. Ela diz que é possível separar a semente da abóbora ou do melão, desidratar e fazer uma farinha para enriquecer a farinha de trigo ou a aveia. Não descascar os alimentos para consumi-lo (maçã e abacaxi, por exemplo) é outra possibilidade, mas é preciso cuidado. “Como as cascas não são parte comestíveis, usualmente, e ficam mais em contato externo, elas, consequentemente, estão mais expostas à contaminação”, ensina Jovana, que também é mestre em Ciência dos Alimentos. O objetivo do aproveitamento integral é extrair o maior teor de vitaminas, minerais e fibras, que, geralmente, se concentram nas cascas.

Monick Sena é nutricionista e responsável pelo programa Mesa Brasil. Para ela, os alimentos, em sua totalidade, podem ser utilizados e não se deve jogar nada fora. “O reaproveitamento cria, recria e incentiva a criação de receitas que consigam aproveitar os alimentos integralmente”, sugere Monick, que em, suas receitas, sempre utiliza alimentos regionais e da estação, como o abacaxi.

“O erro mais comum é ter o preconceito proveniente de não sabermos utilizar os alimentos com as cascas e talos e acabar desperdiçando. Às vezes, o preconceito de não querer fazer a receita com a casca e a desvalorização das receitas com esse itens fazem com que as pessoas percam chances incríveis. As barreiras evitam que pessoas testem, provem e, então, a gente incentiva tanto o preparo, e depois o ‘teste’, para ver que não tem nenhuma fórmula mágica”, finaliza. O desperdício não acontece ao jogar sobras de alimentos fora. O preparo de comidas em excesso também pode causar problemas. Nessas horas, entram as receitas. Se há o excedente, apenas aproveite com criatividade. Quanto às proteínas, elas também podem ser utilizadas.

Mesa Brasil
O Brasil vem se destacando no combate à fome com ações para reduzir o desperdício de alimentos e garantir a segurança alimentar e nutricional de milhares de pessoas. O Programa Mesa Brasil do Sesc é uma das iniciativas mais expressivas do País no combate à fome. Trata-se de uma rede nacional de bancos de alimentos contra a fome e o desperdício.

É baseado em ações educativas e de distribuição de alimentos excedentes ou fora dos padrões de comercialização, mas que podem ser consumidos. A ideia é ter baixo custo e preparo simples. Jhôina Karla, de 17 anos, participou de uma dessas oficinas, no bairro Rio Piorini. “Tem coisas que dá para reutilizar que a gente realmente não sabia, como o abacaxi. Tive uma nova experiência. É bom trazer essas atividades para a comunidade porque muitas a gente nem conhece”, disse a jovem, que alega ter aprendido a não mais cozinhar em grandes quantidades, ato que sempre ocorre, especialmente nessa época do ano.

Dicas práticas para utilização integral de alimentos

• Asse a batata com casca, regue azeite, sal, limão e ervas a gosto;
• Chá gelado da casca de abacaxi;
• Sementes de jerimum torradas;
• Casca de maracujá pode servir de base para doces ou usar na comida como se fosse batata.

Sugestões: Não caia na situação comum de preconceito com alimentos integralmente consumidos; Evite o desperdício; Se o produto não está sendo consumido e está amadurecendo, o melhor a fazer é higienizar e congelar. A maioria dos alimentos pode ser congelado. Tanto a casca como polpa.

Alimentos que podem ser aproveitados integralmente

• Folhas de: cenoura, beterraba, batata doce, couve-flor, abóbora, brócolis, hortelã;
• Cascas de: batata, banana, tangerina, laranja, mamão, pepino, maçã, abacaxi, berinjela, beterraba, melão, goiaba, manga, abóbora;
• Talos de: couve-flor, brócolis, beterraba, agrião;
• Entrecascas de: melancia, maracujá, melão;
• Sementes de: abóbora, melão, mamão, jaca, cupuaçu.

Voltar
Conselho Regional de Nutricionistas - 6ª Região
R. Bulhões Marques, N.º 19, 801/803 - Boa Vista - Recife / PE
CEP: 50060-050 | E-mail: crn6@crn6.org.br
  • Fones:
    (81) 3421.8382 / 3222.1458
    Fax: (81) 3421.8308
  • Horários:
    Sede (Recife) – 10h às 16h
    Delegacias – 12h às 17h
Prática Design